Pular para o conteúdo principal

Entenda um pouco mais sobre o auxílio-moradia que subsiste a todos os poderes da União

Muito se tem questionado sobre o auxílio-moradia para ocupantes de cargos públicos. Este benefício tem como origem da transferência em 1960 da Capital Federal (Rio de Janeiro) para Brasília (DF). Na época, deputados e senadores verbalizaram a falta de condições financeiras para mudança, moradia e viver na cidade devido aos custos da transferência. Foi então que foram destinados a eles (criado por eles), os apartamentos funcionais. E o Estado passou ser o responsável para prover as moradias para os servidores que não fossem originalmente do município em que trabalhavam. E como efeito cascata, o benefício se estendeu aos militares e juízes. 

No portal da Câmara dos Deputados, o auxílio-moradia é o reembolso das despesas com estada ou moradia no Distrito Federal. Os Deputados que não ocupam um dos imóveis funcionais da Câmara têm direito a este auxílio e devem comprovar suas despesas por meio de notas fiscais ou recibos.

Uma matéria publicada neste domingo (4), na Folha de SP, mostrou que só na capital paulista, metade dos juízes ganham o auxílio dos cofres públicos.Com dados do cadastramento do IPTU da cidade, o jornal revelou que só um desembargador, tem em seu nome, 60 imóveis e mesmo assim recebe o auxílio.

Sua opinião

Você sabia que pode apoiar um projeto de lei em tramitação ou lançar uma ideia no portal do Senado Federal? Todas as proposições estão abertas para receber opiniões. Uma ferramenta que pode mudar o curso de um projeto. E atingindo um número suficiente de apoio, ele deverá ser analisado pelo legislativo dentro da questão levantada conforme a Resolução 26/2013. O mecanismo de participação popular faz parte dessa proposta. Uma ementa que recebeu mais de 20.000 apoios,  foi transformada na SUGESTÃO nº 30 de 2017. E ela está em consulta pública e em tramitação na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).


São duas propostas que tramitam no Senado - com o objetivo em acabar com e o auxílio-moradia. Uma é a (PEC) 41/2017, que pede o fim não só para a magistratura, mas também para parlamentares, ministros e membros do Ministério Público. Aliás, o auxílio-moradia subsiste em todos os poderes da União. A outra proposta é a que segue na CDH, que examina justamente a sugestão de iniciativa popular que propõe o fim do auxílio para deputados, juízes e senadores, a (SUG 30/2017).

Neste canal de ideias legislativas populares, outros apoios seguem em curso, como o fim do fundo partidário, só nas últimas 24 horas, foram mais de 1.543 adesões. E a tramitação começou no ano passado. E outros temas seguem o mesmo curso, como: a Fibromialgia: Tornar a doença reconhecida pelo INSS como doença incapacitante, que recebeu 1.185 apoios nas últimas 24 horas. Redução do IR sobre ganhos líquidos em operações de daytrade pessoa física de 20% para 15% que somou 432 apoios também nas últimas 24 horas. 

Com a notoriedade do auxílio-moradia, devido a juízes receberem o benefício mesmo tendo casa própria, o caso ganhou  muita repercussão. E investigações em curso, irão trazer dados alarmantes, volto em outra postagem sobre o assunto. Agora, o projeto tem sido divulgado por senadores da Comissão como uma das prioridades da CDH, logo após o início dos trabalhos legislativos, que começam nesta segunda-feira (5). E a previsão é também de uma audiência pública para debater o assunto. 

No STF
Em 2005, o Congresso aprovou um projeto que acabou com o benefício. A emenda tinha como objetivo aprovar um plano de reestruturação de carreira com aumento de salário. Preservando o auxilio apenas nos casos de transferência de magistrados para lugares distantes. A ideia era acabar com os penduricalhos como tem sido usado este recurso. Já naquela época, o tema era tido como uma forma de complementação salarial para juizes que ganhavam naquele ano cerca e 12 mil. Era objetivo do projeto do governo federal evitar por subterfugiosos o acréscimos no salario, mas que exaltou que eles  deveriam ganhar bem. Em março 2014, o ministro do Supremo Tribunal Federal ( STF) Luiz Fux,  determinou por liminar que todos os magistrados brasileiros em atividade, teriam o direito de um auxílio de até R$ 4.370,00. Este caso volta a pauta para análise do plenário da Suprema Corte este ano, que tem previsão para análise no primeiro trimestre deste ano.








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Juiz Sergio Moro condena Lula; mas conjuntos de elementos se sustenta mesmo com depoimento de Léo Pinheiro

A sentença de 9 anos e seis meses de prisão com direito a responder em liberdade, proferida pelo juiz federal Sérgio Moro – que condenou o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (12), referente ao processo do triplex do Guarujá (SP), demorou menos um ano, desde que o Ministério Público Federal (MPF) ofereceu à denúncia com processo aberto pela Justiça Federal do Paraná (JFPR), no dia 19 de setembro de 2016.
A peça apresentada pelo MPF à Justiça do Federal do Paraná, trouxe uma denúncia de 149 páginas, protocolada também numa quarta-feira, com mais de um terço dedicado à contextualização política (e nota pé sem efeito de denúncia), que foi desde à eleição do petista ao mensalão. O "grande responsável" pelo esquema, centralizado no power point dos procuradores da Lava Jato, elaborado para explicar os motivos da grave  denúncia -- ganhou notoriedade também nas críticas pelo tom político que também foi à coletiva.
O contexto para justificar o paga…

Eleições 2018 - Cálculo eleitoral

Na última pesquisa do Instituto Datafolha, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pontuou 1% das intenções de votos. Um sinalizador  que deve ser levado em conta diante das combinações. 

O cenário definitivo de quem vai disputar á presidência da República conheceremos em abril, mas já é possível ver dos que não confirmaram uma pré-candidatura, o que vem sendo revelado na disposição da luta pela vaga no partido. Claro que  combinações e muita articulação política, contam sempre, principalmente em ano eleitoral. E como muitos adotam o auxílio das pesquisas, afim de conquistar a confiança de seu eleitorado com suas estratégias de campanha, dados também são encomendados. 

Maia é cotado como possível candidato do DEM à Presidência. E não é de hoje que seu nome vem sendo ventilado. Caso não confirme, deve vir como deputado-federal, no qual, inclui neste cenário uma nova disputa para continuar no comando da Câmara. 

Nesta semana, em um evento com empresários em SP, Maia disse que a &…