Pular para o conteúdo principal

Lava Jato: TRF4 aumenta pena do ex-diretor da Petrobras Jorge Luiz Zelada


O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) aumentou a pena do ex-diretor da Petrobras Jorge Luiz Zelada, de 12 anos e 2 meses para 15 anos, 3 meses e 20 dias de prisão.

A decisão foi tomada durante o julgamento da 14ª apelação criminal relativa à Operação Lava Jato, que também inclui como réus o ex-gerente da Petrobras Eduardo Costa Vaz Musa e os operadores financeiros João Augusto Rezende Henriques e Hamylton Pinheiro Padilha Júnior.

O aumento de pena de Zelada foi definido por maioria de votos dos desembargadores da 8ª Turma do TRF4. Musa, Rezende Henriques e Padilha Júnior tiveram as penas mantidas pelo Tribunal. Os réus foram denunciados por recebimento e pagamento de propina no contrato do navio-sonda Titanium Explorer pela Petrobras, em transação que custou US$ 1,816 bilhão à petrolífera.

Outro julgamento

Em outra apelação criminal da Lava Jato, o TRF4 fixou o valor mínimo de R$ 38,245 milhões a ser pago pelo ex-presidente da UTC Engenharia Ricardo Pessoa à Petrobras, a título de reparação de danos. A este valor serão acrescidos juros moratórios, segundo a decisão.

O julgamento ocorreu sobre apelação da própria Petrobras, que recorreu para garantir a reparação, independentemente do acordo de colaboração premiada assinado pelo empresário. A petrolífera pediu que o valor de reparação fosse equivalente ao valor da propina, estimada em 3% dos contratos citados na denúncia.

A ação penal da Lava Jato trata de crimes cometidos nos contratos da Petrobras para obras no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). Os réus foram condenados por organização criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Juiz Sergio Moro condena Lula; mas conjuntos de elementos se sustenta mesmo com depoimento de Léo Pinheiro

A sentença de 9 anos e seis meses de prisão com direito a responder em liberdade, proferida pelo juiz federal Sérgio Moro – que condenou o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (12), referente ao processo do triplex do Guarujá (SP), demorou menos um ano, desde que o Ministério Público Federal (MPF) ofereceu à denúncia com processo aberto pela Justiça Federal do Paraná (JFPR), no dia 19 de setembro de 2016.
A peça apresentada pelo MPF à Justiça do Federal do Paraná, trouxe uma denúncia de 149 páginas, protocolada também numa quarta-feira, com mais de um terço dedicado à contextualização política (e nota pé sem efeito de denúncia), que foi desde à eleição do petista ao mensalão. O "grande responsável" pelo esquema, centralizado no power point dos procuradores da Lava Jato, elaborado para explicar os motivos da grave  denúncia -- ganhou notoriedade também nas críticas pelo tom político que também foi à coletiva.
O contexto para justificar o paga…

Entenda um pouco mais sobre o auxílio-moradia que subsiste a todos os poderes da União

Muito se tem questionado sobre o auxílio-moradia para ocupantes de cargos públicos. Este benefício tem como origem da transferência em 1960 da Capital Federal (Rio de Janeiro) para Brasília (DF). Na época, deputados e senadores verbalizaram a falta de condições financeiras para mudança, moradia e viver na cidade devido aos custos da transferência. Foi então que foram destinados a eles (criado por eles), os apartamentos funcionais. E o Estado passou ser o responsável para prover as moradias para os servidores que não fossem originalmente do município em que trabalhavam. E como efeito cascata, o benefício se estendeu aos militares e juízes. 

No portal da Câmara dos Deputados, o auxílio-moradia é o reembolso das despesas com estada ou moradia no Distrito Federal. Os Deputados que não ocupam um dos imóveis funcionais da Câmara têm direito a este auxílio e devem comprovar suas despesas por meio de notas fiscais ou recibos.
Uma matéria publicada neste domingo (4), na Folha de SP, mostrou que …

Eleições 2018 - Cálculo eleitoral

Na última pesquisa do Instituto Datafolha, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pontuou 1% das intenções de votos. Um sinalizador  que deve ser levado em conta diante das combinações. 

O cenário definitivo de quem vai disputar á presidência da República conheceremos em abril, mas já é possível ver dos que não confirmaram uma pré-candidatura, o que vem sendo revelado na disposição da luta pela vaga no partido. Claro que  combinações e muita articulação política, contam sempre, principalmente em ano eleitoral. E como muitos adotam o auxílio das pesquisas, afim de conquistar a confiança de seu eleitorado com suas estratégias de campanha, dados também são encomendados. 

Maia é cotado como possível candidato do DEM à Presidência. E não é de hoje que seu nome vem sendo ventilado. Caso não confirme, deve vir como deputado-federal, no qual, inclui neste cenário uma nova disputa para continuar no comando da Câmara. 

Nesta semana, em um evento com empresários em SP, Maia disse que a &…